Bell Marques terá que pagar R$ 30 mil a fotógrafo

Após a esquipe do cantor, Bell Marques utilizar uma foto do fotógrafo, João Cajazeira em uma propaganda sem prévia autorização, eles terão que pagar R$ 30 mil de indenização.

Segundo informações do colunista Leo Dias, do jornal “O Dia”,  João entrou com uma ação contra Bell pedindo, inicialmente, R$ 80 mil. Mas os dois fizeram um acordo na Justiça e o valor da indenização foi diminuído para R$ 30 mil.

Por meio de nota oficial, Bell se pronunciou e afirmou que a empresa que cuida de seus interesses, a Núcleo55 entrou em contato com o fotógrafo João, em busca da autorização para o uso da fotografia, mas que naquele momento o fotógrafo não havia encontrado a foto original, gerou dúvidas quanto ao detentor do Direito Patrimonial e autor da foto.

Ainda segundo a nota, a  equipe da Núcleo55 cobrou várias vezes o valor real para negociação e que foi surpreendida com uma notificação extrajudicial no valor de R$ 60.000,00. Na nota diz que,  como não houve nenhum acordo, ocorreu a ação judicial cobrando o valor de R$ 80.000,00. Depois de mais um acordo,  foi aceito por ambas as partes, perante o juiz, o valor justo de R$ 30.000,00.

Confira na integra a nota: “A equipe da Núcleo55, empresa que cuida dos interesses do cantor Bell Marques, entrou em contato há mais de três anos com o fotógrafo João Cajazeira, em busca de uma autorização para utilizar uma fotografia em uma campanha. Naquele momento, o fotógrafo não havia encontrado a foto original, o que, naturalmente, gerou dúvidas quanto ao detentor do Direito Patrimonial e autor da foto, tendo em vista que o fotógrafo tinha sido contratado para a cobertura do evento na Praia do Forte (BA) onde foi feito o registro. Diante dessa dúvida e do tempo para a campanha, a foto foi utilizada sem o crédito. A equipe da Núcleo55 cobrou mais de uma vez o valor real para a negociação e foi surpreendida com uma notificação extrajudicial no valor de R$ 60.000,00. Como não houve acordo, ocorreu a ação judicial cobrando solidariamente o valor de R$ 80.000,00. Assim, em comum acordo, foi aceito por ambas as partes, perante o juiz, o valor justo de R$ 30.000,00.”

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...