Festival “TMDQA” promove shows de grandes bandas brasileiras

Um grande festival dos mais variados estilos da atual música nacional agitou o sábado (8), no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. O Festival “Tenho Mais Discos Que Amigos! (TMDQA!)” foi uma realização do famoso site musical de mesmo nome do evento, que teve o objetivo de juntar em um mesmo show, na capital, tanto bandas iniciantes da região, quanto veteranas em nível nacional e internacional, como Scalene, Braza e Supercombo. Ao todo, dez bandas se apresentaram durante as oito horas de festival, nos dois palcos montados no local: Scalene, Supercombo, Braza, Francisco El Hombre, Baiana System, Lista de Lilyi, Alarmes, Muntchako, Brvnks e Mdnght Mdnght.

Um dos grandes destaques da noite foi a “Francisco El Hombre”, banda criada em Campinas (SP) em 2013. O grupo foi formado por dois irmãos mexicanos naturalizados brasileiros, trazendo depois outros três brasileiros de nascença para completar a banda. O quinteto lançou seu primeiro albúm no ano passado, denominado “SOLTASBRUXA”, que traz em suas composições misturas de música mexicana, brasileira, batucada e música latina em geral. Se autodefinindo uma banda de “Pachanga Folk”, eles trazem críticas sociais e políticas em suas letras, apresentando um forte ativismo para questões sócio-culturais, como o feminismo.

Crédito: Hugo Vieira

Para Pedro Mendes o festival não deixou a desejar. “Achei o festival sensacional, com uma organização muito boa. As melhores bandas foram Francisco, El Hombre, uma grande revelação para mim, e Braza, com músicas muito consistentes. Eu curtia o site desde o começo, e achei uma iniciativa maravilhosa eles fazerem esse evento, porque Brasília precisava muito de um festival desses”, ressalta. “Foi muito bom mesmo, gosto muito do site, que já acompanho há um tempinho. A iniciativa é ótima de promover tantos shows em uma só noite assim”, acrescenta seu irmão Lucas Mendes.

A estudante Ana Luise vê a importância de conhecer novas bandas através de festivais como o TMDQA. “Vi muitas bandas que não conhecia ainda e a animação do pessoal leva a gente a animar também. Às vezes a gente nem conhece e quando acaba conhecendo entra nas no

Crédito: Hugo Vieira

ssas bandas da vida mesmo. Primeira vez que vim no show do Braza, estava muito ansiosa e gostei bastante”, diz a jovem.

Boa parte das apresentações contaram com críticas ao atual governo brasileiro, além de trazerem letras com discursos pacíficos, positivistas e feministas. No final dos shows mais esperados, da Scalene e Supercombo, subiram também ao palco para cantar e dançar vários integrantes das outras bandas da noite, agitando ainda mais o público presente ao ver a parceria entre os músicos.

*Repórter: Iago Kieling

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...