Liga da Justiça: será que vale a pena?

Após a morte do Superman, Bruce Wayne se alia a Diana Prince para enfrentar uma ameaça ainda mais terrível, uma com a qual não conseguirão lidar sozinhos. “Liga da Justiça” é, após a trilogia do Cavaleiro das Trevas, o quinto filme de super-heróis da DC. Os três primeiros (“Homem de Aço“, “Batman versus Superman” e “Esquadrão Suicida” não foram tão bem recebidos nem pela crítica nem pelo público. Já o quarto filme, “Mulher-Maravilha“, também lançado esse ano, foi sucesso absoluto. Por isso, a grande pergunta dos fãs diante de “Liga da Justiça” é: será que a DC acertou de novo? Será que “Liga da Justiça” é um filme que vale a pena?

O enredo

Um dos grandes problemas dos filmes anteriores estava no enredo. Fosse por buracos e inconsistências, fosse por se afastarem demais dos personagens dos quadrinhos, os enredos da DC não convenciam o público. Em “Mulher-Maravilha“, felizmente, as adaptações realizadas não feriram (tanto) a essência da protagonista. Os diálogos foram melhor amarrados, os fatos se encadearam de maneira mais lógica, o ritmo funcionou de maneira mais fluída. E, felizmente, as mesmas qualidades estão no roteiro de “Liga da Justiça“.

Ray Fisher, Gal Gadot, Ezra Miller e Jason Momoa em "Liga da Justiça"
Foto: Divulgação

Sim, o trailer entrega boa parte das surpresas do filme, mas não todas. Não há grandes coincidências como em “Batman versus Superman“. Ao mesmo tempo, quando algo realmente depende do acaso, esse algo é bem aproveitado pelos roteiristas para melhorar a história. Isso garante boas surpresas e “tiradinhas”, além daquelas mostradas nos trailers.

Os heróis de “Liga da Justiça”

Claro que bom enredo não é garantia de bom filme. Um grande calcanhar de Aquiles de “Homem de Aço” e “Batman versus Superman” foi não tratarem os personagens de maneira convincente e/ou fiel aos quadrinhos. Erro que “Liga da Justiça” não cometeu, o que se deve, além do roteiro, aos atores.

Nesse filme, Batman já começa a história mais herói e menos justiceiro. As ações que toma são mais inteligentes e altruístas, o que é bem representado por Ben Affleck. Gal Gadot continua fazendo uma ótima Mulher-Maravilha. E sim, a moça convence bem tanto nas lutas quanto nos momentos de diferentes interações humanas. Jason Momoa traz uma nova vida ao Aquaman. Afinal, ele é o que mais se aproxima, em força, da Mulher-Maravilha. As pitadas de “bad boy” que ele imprime também são bem vindas e convincentes.

Ezra Miller, Ben Affleck e Gal Gadot em "Liga da Justiça"
Foto: Divulgação

Ezra Miller, apesar das polêmicas e desconfianças dos fãs, faz um Flash bastante carismático e bem humano. Mais que o alívio cômico, ele é o representante do fã entre os heróis. Ray Fisher traz um Ciborg trágico, sisudo e bem humorado na medida certa. Finalmente, Henry Cavil reencarna Clark Kent / Kal-el. No trailer, ele é muito mais Superman num único sorriso que nos dois filmes anteriores. O quanto ele aparece no filme e em que situação é uma surpresa que aconselho reservar para o cinema.

Os diretores

Oficialmente, Zack Snyder é o diretor do filme. Entretanto, o falecimento de um familiar fez com que ele passasse a direção para Joss Whedon, que é creditado como roteirista. Os atores afirmam que a direção de Whedon não descaracterizou o toque de Snyder. Os fãs poderão dizer que “Liga da Justiça” é menos pessimista que os filmes anteriores de Snyder, e que isso se deve à influência de Wheadon. Se Wheadon deixou o filme mais otimista e colorido ou se essa já era uma escolha prévia de Snyder é algo que dificilmente saberemos. De qualquer forma, o que é líquido e certo é que Patty Jenkins, com seu “Mulher-Maravilha“, foi a prova de que a DC funciona bem com filmes otimistas. E que apostar nessa veia rende.

Isso não tira, de maneira alguma, os méritos da direção de “Liga da Justiça“. Os ângulos e movimentos de câmera são muito bem escolhidos, afastando-se na medida certa da receita hollywoodiana. O ritmo do filme e a edição funcionam muito bem obrigado. São 121 que passam confortavelmente para o espectador, com direito a duas interessantes cenas pós-créditos.

Se “Liga da Justiça” é um filme que vale a pena? Sim, com toda certeza! No cinema, de preferência em 3D, com direito a pipoca e gente querida por perto. Afinal, mais que a concorrência, esse é um filme pra lá de inspirador sobre o lado bom do companheirismo.

Liga da Justiça” estreia nesse feriado de 15 de novembro.

Gostou da crítica? Vai ver o filme? Não vai? Deixe aqui nos comentários suas impressões sobre a crítica e o filme.  E para ler críticas de outros lançamentos do cinema, clique aqui.
Quer continuar antenado nas novidades da telona? Clique aqui, curta a nossa página no Facebook e fique sempre bem informado sobre o mundo do entretenimento. Para atualizações direto no seu Android,  é só instalar nosso aplicativo grátis, clicando aqui.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...