“Sempre quis ser o Axl Rose”, revela padre Reginaldo Manzotti no Ritmo Brasil

No Ritmo Brasil deste sábado, dia 26/08, Faa Morena recebe o Padre Reginaldo Manzotti. Versátil, o cantor, compositor e também escritor, comenta sua relação com o colega Pe. Fábio de Melo. “Ele está à frente e dialoga com o mundo. Temos estilos diferentes de ser padre e não só fisicamente, como também na nossa forma de encarar o ministério. Ele compõe [suas músicas] a partir daquilo que escuta e eu componho a partir daquilo que escuto. É uma pessoa fantástica, querida pelo Brasil e por mim também”, afirma.

Roqueiro assumido, o Pe. Reginaldo revela paixão pelos Guns N’ Roses e ainda compartilha uma história engraçada envolvendo a admiração pelo grupo. “Sempre quis ser o Axl Rose. (…) Fugia pela janela do seminário para assistir ao cover do Guns. Deixava meu All Star para não fazer barulho porque era de madrugada e ia descalço. Nunca fui pego, mas se eu fosse, acho que seria mandado embora”, relembra, aos risos.

Após ser indicado ao Grammy Latino com seu DVD “Paz e Luz” em 2013, ele fala sobre a vaidade e nega haver “falsa humildade” de sua parte. “Aceito todos os troféus do mundo se isso significar um reconhecimento do que a Igreja e nós, sacerdotes, fazemos. Estou fazendo para Deus e tento sempre oferecer o meu melhor. Se em consequência vier o reconhecimento, louvado seja ele. Dizer que não mexe com a gente, não é verdade, só não podemos deixar que isso nos leve à soberba e à vaidade”, pontua ele.

Sobre a homossexualidade, ele classifica o assunto como algo “mal resolvido do ponto de vista biológico, humano, filosófico e teológico” e, embora não levante bandeira alguma, é categórico. “A igreja hoje tem uma concepção e está se debruçando e acolhendo, mas este acolhimento ainda não é como eles [homossexuais] esperavam e nem sei se será”, diz. O padre ainda faz uma comparação entre “o que é ideal e o que é real” e opina: “A igreja precisa olhar para o mundo sem deixar que a moda estabeleça aquilo que não é meu e nem do Papa, mas sim da Sagrada Escritura.

Não podemos cair no populismo. Nenhum governo populista vai para frente, imagine uma religião”.

Com mais de seis milhões de seguidores nas redes sociais, ele conta que pegou gosto pela tecnologia e revela um fato curioso: “Já quiseram se confessar através do WhatsApp”.

E tudo isso e muito mais você pode conferir a partir das 18h30, na RedeTV!

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...