Celebridades Destaque Luca Moreira

A Vida pela Arte: Conheça a atriz Mariana Palombo

A Vida pela Arte: Conheça a atriz Mariana Palombo

Literalmente dedicando sua vida a arte, a atriz niteroiense Mariana Palombo vai muito além das cortinas do teatro quando o assunto é cultura! Com estudos em teatro, televisão e cinema, iniciou seus estudos aos 18 anos na Escola de Atores Wolf Maya, onde se formou esse ano com a peça “Cê Fini”.

Estudando licenciatura em dança pela UFRJ, fez aulas de ballet, jazz, sapateado e afro na Academia Simone Falcão. Aos 6 meses de idade, já participava da abertura do programa “Você Decide”, exibido pela Rede Globo entre 1992 e 2000, apresentado por personalidades conhecidas como Antônio Fagundes, Raul Cortez, Luciano Szafir e Susana Werner. No meio musical, possui habilidades em violão e percussão, tendo se apresentado no “Gente Inocente” (2002). Atualmente Mariana está com um projeto solo na área musical e uma música autoral “Vai, me mostra” que será lançado em breve em todas as plataformas digitais.

É formada pelo curso School Models como modelo e manequim. Em suas experiências profissionais no teatro, participou de peças como “A Bruxinha que era Boa’’, “Pluft, o fantasminha’’, “Frozen – Um Musical Congelante” com temporadas no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, “ As Falecidas – Um mergulho nos abismos Rodriguianos’’, “S.O.S Cabaré’’, “Pedido de Casamento’’, “Relaxa Que é Sexo”, e mais recentemente “Cê Fini” com direção  de Thierry Tremouroux.

Participou também de videoclipes como “Acredita” (Matheus Duboc), “Bitch” (Guto Gomes), e “Última Viagem” (Liink). Como modelo, estrelou campanhas para “Amil Dental”, “Coca-Cola”, “Mustang Rockin Casual Food”, e realizou ensaios para “Real Noivas”, “Inesquecível Casamentos”, “Didanda”, “Lotus”, “Avancini”, “Glee”, “Keola”, “Made in Jota” e “Leader”.

Na televisão, vale destacar suas participações em “Boogie Oogie’’, “Haja Coração”, e “Adnight”.

Como o teatro entrou na sua vida?

O teatro entrou na minha vida quando eu tinha 4 anos no Simone Falcão em Niterói. Onde eu fazia Ballet clássico, sapateado, jazz, afro juntamente do teatro. Lembro que na escola sempre participava das peças de finalização de série também. Inclusive em uma onde eu era a “estrela guia” eu caí da cadeira que estava em pé durante a cena… foi emocionante.

Entre os anos de 2000 e 2002, passava na Rede Globo o programa “Gente Inocente”. Como foi sua experiência por lá?

Foi bem bacana. Eu tinha uns 6 anos e participei de uma apresentação vestida de Mônica onde eu dançava e interpretava. Eu sempre digo que não foi eu que escolhi a arte mas foi ela que me escolheu. Desde de que me conheço por gente quis isso e faço por onde. Não lembro de pensar diferente. Aliás, já pensei em ser médica. Mas isso durou até eu começar a ter aulas de laboratório na escola. Lembro do meu encantamento com tudo nesse dia e a confirmação dentro de mim do que eu queria pro resto da minha vida.

Nos palcos, você realizou tanto peças infantis como adultas, sendo suas últimas voltadas ao público adulto. Existe algum tipo de preferência entre os públicos?

Da minha parte não. Gosto de trabalhar com crianças quanto com adultos. Eu me considero uma criança grande e é lindo ver as crianças te olhando com aqueles olhos de encantamento e acreditando realmente que você é a rainha do gelo. Eu fazia a Elsa e fiz Rio, São Paulo e Minas Gerais. E foi uma época maravilhosa onde eu aprendi muito com as crianças e sua espontaneidade. Com o público adulto meu último trabalho foi o Relaxa dirigido pelo Wolf Maya fizemos Rio e São Paulo e foi enriquecedor. Amadureci e cresci muito nesse processo. O oposto do meu trabalho com as crianças e isso é o que eu mais gosto. Poder transitar em várias energias e estudar a ponto de ficar crível qualquer personagem que eu me submeta a fazer.

Quais são suas inspirações como atriz?

Adriana Esteves, Marjorie Estiano, Claudia Raia, Leticia Colin, Mery Streep, Julia Roberts, Cate Blanchett, Letícia Sabatella e Natalie Portman (Esses são só alguns nomes. A verdade é que eu admiro muitas e gosto de assistir muitos filmes para estudar cada vez mais possibilidades).

O que a fez escolher cursar dança na faculdade? E o que tem achado do curso?

O meu amor pela arte e a vontade de cursar algo que seja artístico. Eu amo dançar. Faço dança desde pequena e sempre que interpreto utilizo a minha consciência corporal para construir meus personagens. No caso de musicais é essencial saber dançar e isso me ajuda muito. Penso em dar aulas também. Tenho achado muito bacana mas ainda acho que tem que existir um investimento e uma atenção maior direcionada para os estudantes do curso da Dança na Ufrj.

Nesse mês, a peça “Cê Fini”ficou em cartaz no Rio. Como foi participar desse projeto?

Foi maravilhoso, porque eu entrei no Wolf em 2013, eu tinha 17/18 anos e desde então sempre quis me formar. Mas por falta de tempo e dinheiro não conseguia. A peça “Cê fini” um apanhado de textos de Samuel Beckett, foi a minha peça de formatura e de uma importância enorme porque interpretei uma senhora de idade que utiliza uma energia que não tenho costume de usar em cena. O retorno da galera foi muito positivo e por isso estamos com um projeto na internet dessas senhoras “Vai e Vem” aliás sigam a gente no Instagram @vaieveem Está prometendo!

Além da atuação, seu talento é notório pelas suas habilidades no canto. Como surgiu a dupla “Sirenas” com a Renata Pugliese?

A dupla com a Renata surgiu quando começamos a ir juntas para o curso do Wolf. Identificamos coisas em comum que nos aproximaram ainda mais. Ela é muito ligada ao mar e a Iemanjá como eu. As duas fizeram tatuagens de Sereia e nos chamamos assim. Aprendi muito com ela e acho que ela também aprendeu comigo. Passamos por momentos especiais juntas. Fizemos um show para mais ou menos 10.000 pessoas em Miguel Pereira e Arraial, entre outras coisas. Foi uma fase mágica guardada em nossos corações! Atualmente não estamos tão focadas no projeto “Sirenas” porque estamos cada uma com seu projeto solo e inclusive as duas vão lançar cada uma, uma música no Spotify ainda esse mês. A dela é Quente e Pronta e a minha é Vai, me mostra. Fiquem ligados!

Como foi trabalhar com Wolf Maya?

Foi enriquecedor. Aprendi muito com toda sua experiência, seu jeito prático e virginiano durante esse processo. Eu que sou toda pisciana e abstrata só fiz sugar o máximo. É admirável como o Wolf pensa rápido e é inteligente. Sempre tentando se atualizar e se informar. Fizemos um filme agora chamado “O Assalto” o roteiro é dele e direção também. Deve estrear mais para o final do ano.

Fale sobre sua passagem na novela “Haja Coração”?

Fiz uma pequena participação, com a Mariana Ximenes, ficamos no mesmo camarim, pude pedir comida pelo telefone, no mesmo dia o Vídeo Show foi no camarim também, foi uma delicia me sentir como parte daquele todo. Uma experiência maravilhosa para quem estava começando.

Iniciando a carreira ainda pequena, como foi a aceitação da família no início?

Eles sempre me apoiaram muito. Só acho que eles não achavam que era tão sério a ponto de eu viver para isso.

A respeito de sua profissão, como definiria o seu perfil como atriz?

Me definiria como uma atriz disponível. Disposta a encarar qualquer desafio em prol de um personagem.

Quais são seus planos profissionais daqui pra frente?

Conseguir finalizar minha faculdade de Licenciatura em Dança na UFRJ e me estabilizar profissionalmente e financeiramente como atriz.

Deixe uma mensagem.

“As vezes Deus te leva pelo caminho mais longo, não para te punir, mas sim para te preparar.”

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.