Economia em alta: 2020 resulta em oportunidades de emprego e maiores salários


Mercado financeiro, seguros, tecnologia, engenharia, recursos humanos, marketing e jurídico. Quem trabalha em algum destes setores terá mais chance de encontrar empregos melhores – e um ótimo salário – em 2020, de acordo com o Guia Salarial da Robert Half 2020, elaborado pela consultoria global de carreiras.

As oportunidades de trabalho no mercado brasileiro serão acirradas, principalmente, pelo esperado reaquecimento da economia e o aumento do consumo, com destaque para a alta da construção civil e produção industrial. Segundo especialistas, muitas empresas terão de desengavetar projetos de expansão e lançar novos produtos, movimento que vai demandar a busca por novos funcionários.

ON LINE 

Nesse contexto, o principal potencial estará no campo da chamada transformação digital, que é um reposicionamento das empresas para os negócios digitais, serviços por sites e aplicativos. “A expansão das oportunidades de negócios em locais de trabalho cada vez mais abertos para a tecnologia exige treinamento e orientação, além da capacidade de atrair e reter os melhores talentos disponíveis”, diz Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half no Brasil. “O sentimento dos executivos c-level é otimista, mas atributos como agilidade comercial, capacidade tecnológica e planejamento futuro permanecem vitais para o crescimento contínuo dos negócios.” 


O potencial de vagas qualificadas em 2020 não está voltado apenas para aos projetos de grandes empresas e de multinacionais. Um estudo da Fecomercio-SP aponta que as micro e pequenas empresas, sendo algumas delas startups, devem brilhar neste ano na geração de oportunidades.


“Quem vai procurar emprego no ano que vem deve ter um olhar carinhoso para as micro e pequenas empresas. Nesse caso, demonstre vontade, olho no olho, bata perna para procurar essas vagas. Essas são as principais características em termos de geração de emprego”,
afirma o economista da entidade, Jaime Vasconcellos. O especialista prevê um aumento de 1,1% a 2,5% no mercado de trabalho ocasionado por um dinamismo crescente na economia. 

RECUPERAÇÃO GRADUAL 

mercado de trabalho, mesmo que ainda em ritmo discreto, já vem se recuperando nos últimos meses. A taxa de desemprego fechou em 11,2% no trimestre encerrado em novembro (último dado disponível), caindo tanto em comparação com o trimestre anterior, quando a taxa registrada foi de 11,8%, quanto em relação ao mesmo trimestre de 2018 (11,6%).


O recuo no desemprego foi acompanhado, mais uma vez, pelo aumento das vagas sem carteira de trabalho assinada, que bateram recorde, um dos desafios para o mercado de trabalho em 2020. A população desocupada, de 11,9 milhões de pessoas, também caiu em ambas as comparações: -5,6% (ou 702 mil pessoas a menos) comparado ao trimestre anterior e -2,5% (300 mil pessoas a menos) em relação ao mesmo trimestre de 2018.


Esse nível de desocupação é o menor desde o trimestre encerrado em maio de 2016 (quando também bateu 11,2%). Para trimestres encerrados em novembro, é o menor desde 2015, quando a taxa fixou em 9%. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua), publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa não usa só os trimestres tradicionais, mas períodos móveis (como fevereiro, março e abril; março, abril e maio etc.)

O QUE A EMPRESA FAZ 

Para Alexandre Slivnik, especialista em recursos humanos, diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e especialista em excelência em atendimento pela Universidade de Harvard, para ter maiores chances de chegar emmuma posição melhor no trabalho em 2020 é importante ter um bom conhecimento dos objetivos da empresa em que trabalha. 


“Além do relacionamento com a equipe e os líderes, é preciso ajudar a empresa a prosperar de todas as maneiras, seja ajudando os colegas em processos mais difíceis, sugerindo mudanças que podem ser positivas e realmente ter ações que se conectem com o propósito da empresa”, aconselha o diretor da ABTD.


Entre as vagas que exigem menores qualificações, as melhores perspectivas se concentram no comércio, que entrou em 2020 embalado pelos bons resultados do ano passsado. As vagas temporárias abertas no comércio por causa das datas comemorativas de fim de ano contribuíram para a queda de 0,7 ponto percentual na taxa de desocupação. Foi a maior redução da série na história, junto com a do trimestre encerrado em agosto de 2017.

“Ficamos dois anos, em 2015 e 2016, sem ter a sazonalidade já que não havia geração de postos suficientes para atender à demanda por trabalho”, comenta a analista da pesquisa do IBGE, Adriana Beringuy. “O comércio demostrou movimento positivo no trimestre fechado em novembro, o que consideramos estar relacionado às datas comemorativas como Black Friday e a antecipação de compras de final de ano.”

Mudar de emprego exige planejamento

Um dos maiores especialistas em carreiras e mercado de trabalho do Brasil, Alberto Roitman diz que um novo ano exige também uma nova postura de quem pretende dar uma melhorada na carreira. Escritor e consultor, autor dos livros “Você é o que você entrega!” e “A Última Chance!”, ele aconselha que a chave do sucesso, além da qualificação, será a divulgação pessoal. “Em 2020, não teremos espaço para a humildade burra. Como 2020 vai ser o ano da ousadia, faça seu marketing pessoal. Ouse e deixe claro para todos ao seu redor a sua ambição”, afirmou.

”Devemos fazer networking todo dia, toda hora. Faça uma lista de 100 pessoas que precisa se aproximar. Trate a sua carreira como um grande projeto. Mas para que as coisas aconteçam você precisa se aproximar das pessoas certas”

Roitman conta que esteve em pelo menos 150 empresas no ano passado, conversando com aproximadamente 10 mil pessoas em treinamentos e palestras. Uma das conclusões é que o comportamento pessimista prejudica o ambiente de trabalho e envolve toda a equipe. “Apesar dos indicadores econômicos darem sinais de melhoria, é muito cedo para dizer que a crise passou. Isso não significa que você vai culpar o mercado, os concorrentes ou o governo pela demora da concretização dos indicadores. Apesar da tentação ser grande em dizer que ainda estamos em dificuldade, o objetivo aqui é se distanciar dos pessimistas.”


Outro conselho importante para quem deseja o melhor lugar no mercado de trabalho ou tem vontade de melhorar de cargo e salário é o chamado networking, prática que consiste em investir no fortalecimento de seus contatos profissionais. “Devemos fazer networking todo dia, toda hora. Faça uma lista de 100 pessoas que precisa se aproximar. Trate a sua carreira como um grande projeto. Mas para que as coisas aconteçam você precisa se aproximar das pessoas certas”, afirma Roitman.


O especialista dá outro conselho: “Faça uma lista de pessoas que você precisa se relacionar e se aproximar para ser visto e lembrado. Essa dica é chave, pois ela representa uma forte essência do que é o marketing pessoal. Em seguida, trace uma estratégia para conversar com cada uma destas pessoas de maneira quinzenal ou mesmo semanal.”

Fonte: Estado de Minas

Imagem: Agência Brasil