Home > Esportes > Flamengo comemora o título de Bicampeão da Libertadores com dois gols de virada

Flamengo comemora o título de Bicampeão da Libertadores com dois gols de virada

O Flamengo é o campeão da Copa Libertadores de 2019. A equipe rubro-negra, maior ndo futebol brasileiro na atual temporada, conquista agora a América, e de modo ao mesmo tempo dramático e antológico. Os brasileiros venceram o River Plate de virada por 2 a 1, com dois gols de Gabigol anotados aos 43 e aos 46 minutos do segundo tempo, em Lima, no Peru.

O Flamengo, dessa forma, volta a conquistar continente após exatos 38 anos. Foi justamente em 23 de novembro de 1981, em sua primeira e até então única final do torneio, que o Rubro-Negro, estrelado por Zico e tantos outros craques, ganhava do Cobreloa por 2 a 0, em Montevidéu, no Uruguai, e levantava assim a taça da Libertadores.

Em tempo: ainda que não jogue, o Flamengo tem nova chance de ser vitorioso amanhã. Líder isolado do Campeonato Brasileiro com 13 pontos de vantagem para o segundo colocado, o Rubro-Negro assume o título nacional caso o Palmeiras não vença o Grêmio, em jogo marcado para as 16h deste domingo, no Allianz Parque.

O melhor do jogo: Gabigol Artilheiro da Libertadores e agora com 40 gols na temporada, Gabigol foi o nome da decisão. Apesar de pouco jogar ao longo de praticamente toda a partida, o camisa 9 do Flamengo marcou aos 43 e aos 46 do segundo tempo, sendo o herói do bicampeonato rubro-negro.

Flamengo: o melhor ficou para o final

Nos primeiros 15 minutos do jogo, o Flamengo conseguiu colocar em prática o que vem desenvolvendo nos meses anteriores. Quando tomou o gol, claramente sentiu a perda de controle da partida, passou a errar mais passes e a encontrar muita dificuldade na criação das jogadas. De maneira que nada dava certo à frente, a defesa também passou a ser mais “convidativa” ao intenso time do River Plate — passou a ter dificuldade até para subir seu posicionamento em campo, talvez principal característica da retaguarda do time que é a sensação do Brasil.

O melhor, entretanto, estava guardado para o fim. Com Gerson machucado, Jesus mandou o time para frente a partir dos 20 minutos da etapa final colocando Diego em campo. A pressão, ainda que não absoluta, surtiu efeito nos minutos finais, premiando os rubro-negros com uma épica virada no fim da decisão.

River Plate: controlou boa parte do jogo (que só acaba quando termina)

Marcando numa linha mais baixa que a do Flamengo, como esperado, e mordendo individualmente os rubro-negros, o River Plate praticamente anulou boa parte das tentativas ofensivas dos comandados de Jorge Jesus. Após o primeiro gol, cresceu no jogo, passou a ter o controle das ações e, ofensivamente, se fez valer de um meio de campo de muita qualidade para alimentar os homens de frente. Por diversos momentos, conseguiu amassar os brasileiros no campo de defesa rubro-negro. No segundo tempo, diminuiu o ritmo. A defesa passou a encontrar dificuldade para segurar as subidas flamenguistas principalmente pelas laterais.

Cronologia do jogo

O Flamengo começou a decisão com maior intensidade, marcando alto e povoando o campo de defesa adversário. Gol mesmo, entretanto, quem marcou primeiro foi o River Plate logo aos 14 minutos. Nacho Fernández recebeu pela direita e cruzou rasteiro antes da chegada de Filipe Luís. A principal falha defensiva no lance foi a indecisão entre Arão e Gerson sobre quem cortaria a bola. No fim, ela passou ilesa até encontrar os pés de Borré. O colombiano bateu colocado, também rasteiro, para abrir o placar.

A partir de então, o River Plate tomou conta do jogo. O cenário se manteve, ainda que com mais equilíbrio, no segundo tempo. Aos 11 minutos da etapa final, porém, o Flamengo teve chance rara para empatar: após chute de Gabigol rebatido em De la Cruz, Everton Ribeiro, livre de marcação, bateu para grande defesa de Armani.

A virada estava mesmo guardada para o apagar das luzes. Aos 43 minutos, Gabriel aproveitou arremate cruzado de Arrascaeta para empatar a decisão. Três minutos depois, o camisa 9 recebeu lançamento na grande área, ganhou disputa com Pinola e fuzilou as redes de Armani. Foi o gol do título do Flamengo!

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 2 X 1 RIVER PLATE

Local: Estádio Monumental, em Lima (Peru)

Data: 23 de novembro de 2019 (Sábado)

Horário: 17h (de Brasília)

Árbitro: Roberto Tobar (CHI)

Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI)

VAR: Esteban Ostojich (URU)

Público/renda: –

Cartões amarelos: Pablo Marí e Rafinha (Flamengo); Casco, Suárez e Enzo Pérez (River Plate)

Cartões vermelhos: Palacios e Gabriel

Gols: Borré, aos 14 minutos do primeiro tempo; Gabigol, aos 43 e aos 46 minutos do segundo tempo.

FLAMENGO

Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Willian Arão (Vitinho), Gerson (Diego), De Arrascaeta (Piris da Motta) e Everton Ribeiro; Bruno Henrique e Gabigol. Técnico: Jorge Jesus

RIVER PLATE

Armani, Montiel, Quarta, Pinola e Casco (Paulo Díaz); Enzo Pérez, Nacho Fernández (Julián Álvarez), Palacios e De la Cruz; Borré (Lucas Pratto) e Matías Suárez. Técnico: Marcelo Gallardo.

Fonte: UOL Esportes

You may also like
Em festa da CBF, Rafaella controla Gabigol durante comemoração e vira um dos trends do Twitter
Famosa frase do Cruzeiro “Time grande não cai” é anulada após rebaixamento para série B
Treinador do Cruzeiro tem como missão livrar o time de rebaixamento no jogo de hoje contra o Palmeiras
Empresários chineses observam Bruno Henrique, jogador do Flamengo