Programas Televisão Bernardo Vieira

Profissão Repórter desta quarta-feira (31/10) fala sobre justiça restaurativa

Profissão Repórter desta quarta-feira (31/10) fala sobre justiça restaurativa

Exibido pela Globo, o Profissão Repórter desta quarta-feira (31/10/2018), fala sobre justiça restaurativa.

Diante da crise do sistema penitenciário no Brasil, a Justiça recorre a uma medida alternativa para amenizar o problema: a chamada Justiça Restaurativa. Para situações menos graves, em que é possível a solução de conflitos a partir da escuta entre as partes envolvidas, a Justiça tenta estabelecer um acordo antes que o caso vá a julgamento. No ‘Profissão Repórter’ desta quarta-feira, dia 31, as repórteres Sara Pavani, Mayara Teixeira, Eliane Scardovelli e Nathália Tavolieri se dividem entre Brasília, Porto Velho e o interior de São Paulo para mostrar alguns casos que passam pela medida.

Em Brasília, um dos primeiros locais no Brasil a receberem um núcleo de Justiça Restaurativa, as repórteres Sara e Mayara acompanham e registram tentativas de reconciliação em duas situações: entre motoristas que se envolveram em uma briga de trânsito e entre duas mulheres que trocam ameaças e agressões por causa de um homem. “A ideia básica é que as pessoas possam entrar em acordo, além de poderem refletir sobre o que fizeram. A resposta para a vítima e para a sociedade é maior, ela não foca só na punição, mas também em uma restauração”, analisa Mayara.

É o caso da vara de execuções penais de Porto Velho, por exemplo. Em busca da restauração citada por Mayara, um juiz do local permite a aplicação de técnicas terapêuticas no processo de recuperação de presos. A repórter Eliane Scardovelli vai até lá para acompanhar sessões de terapia feitas com a ajuda de voluntários e especialistas. Somente presos com bom comportamento e que já cumpriram pelo menos um ano de pena podem participar. “Eles tentam fazer com que o preso revisite o seu passado e buscam tentar entender o porquê dele ter cometido o crime, trazendo, desta forma, uma consciência de suas escolhas”, comenta a jornalista.

Em Tatuí, no interior de São Paulo, Nathália Tavolieri conhece o caso de um jovem que bateu em um colega de escola e acompanha um trabalho feito com adolescentes. Através de uma terapia em grupo, o objetivo é interromper o ciclo de violência entre eles. “É um trabalho bem complexo que conta com várias técnicas. O resultado não é uma pena, mas propostas para ajudar a auxiliar os que participam”, comenta a repórter.

A atração está prevista para ser exibida em São Paulo, e em todo Brasil, a partir das 23h45 logo após o Futebol na Globo.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.