Saque PIS/PASEP: Saiba quais os documentos obrigatórios para receber em média 1.400


Os trabalhadores que têm direito a receber as cotas do fundo PIS/Pasep não precisam se preocupar. Desde o ano passado, quando o Governo autorizou o saque para todas as idades, o processo está muito fácil. Quem quiser retirar em média R$ 1.400,00 do fundo, é necessário apresentar o Cartão Cidadão e a senha, ou apenas um documento de identificação, em alguns casos.

Veja quais os documentos levar para sacar as cotas do fundo PIS/Pasep

PIS: o saque é realizado na Caixa Econômica

  • Valores até R$ 1.500 podem ser retirados somente com a apresentação de um documento de identificação com foto no Autoatendimento do banco apenas com a Senha Cidadão, sem o Cartão Cidadão, ou com o Cartão e a senha nas Lotéricas e correspondentes Caixa Aqui
  • Saques de até R$ 3.000 com documento de identificação, podem ser feitos com o Cartão Cidadão e Senha no Autoatendimento, Lotéricas e Caixa Aqui.
  • Por fim, para valores acima de R$ 3.000 é preciso ir a uma agência da Caixa com um documento de identificação oficial com foto.

Pasep: o saque é feito no Banco do Brasil

Para sacar, basta apresentar um documento oficial de identificação, dentro da validade, que pode ser: cédula de identidade, carteira de habilitação, carteira de trabalho e passaporte.

Como fazer para sacar o benefício?

Trabalhadores de empresas privadas que recebem o PIS

Os saques poderão ser feitos nas casas lotéricas, representantes Caixa Aqui e caixas eletrônicos da Caixa com o uso do Cartão Cidadão e senha.

Contudo, quem não tiver o cartão, poderá sacar no balcão de assistência nas agências da Caixa.

Segundo o banco, 10,4 milhões de trabalhadores têm direito a sacar os rendimentos do fundo PIS/Pasep.

Servidores públicos que recebem o Pasep

Para os servidores públicos, os saques deverão ser realizados pelo Banco do Brasil. Quem não tiver conta no banco poderá fazer a transferência (TED) sem custo no valor de até R$ 5.000 para outra instituição.

Entretanto, saques acima de R$ 5.000 só podem ser feitos nas agências do banco.

De acordo com o Banco do Brasil, são pelo menos 1, 522 milhão de cotistas do Pasep.

Entendendo as cotas do fundo PIS/Pasep

As cotas são o resultado dos créditos depositados pela empresa trabalhada no Fundo PIS/PASEP, entre os anos de 1971 a 04/10/1988.

Nesse tempo o trabalhador era dono de uma parte ou cota do fundo que era depositado em contas. O valor médio das cotas é de R$ 1.400 reais.

Uma medida provisória tornou menos rígidas as regras de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), e também possibilitou o saque dessas cotas pelo trabalhador que não tenha sacado ainda.

Os valores depositados no programa estão disponíveis para saque uma vez iniciado o calendário de pagamento do abono salarial e dos rendimentos.

Antes da medida estabelecida pelo governo, só poderia ser retirado em situações especiais o dinheiro do fundo PIS/Pasep, como, por exemplo o trabalhador que se aposentasse ou tivesse completado mais de 60 anos de idade.

Quem tem direito ao saque do fundo PIS/Pasep?

O trabalhador cadastrado no fundo PIS/PASEP até 04/10/88 e que ainda não sacou o saldo de cotas na conta individual de participação tem direito aos rendimentos do fundo. Além disso, caso não esteja vivo os herdeiros podem exigir os valores.

Logo, tem direito ao saque do fundo PIS/Pasep quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 1988.

As pessoas que trabalharam nesse período em empresa privada têm cota no PIS e recebem pela Caixa Econômica, enquanto quem trabalhou em órgão público tem cota no Pasep e recebem pelo Banco do Brasil.

Fonte: diarioprime