Veja quais são as expectativas mundiais sobre emprego em 2020


De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, 2020 será o ano que o número de desempregados subirá consideravelmente. Há uma perspectiva média de 2,5 milhões de desocupados.

Diante do decadente cenário econômico, o desemprego deve aumentar.
OIT relata que a quantidade mundial de desempregados pode chegar a 190,5 milhões.

Nesse caso, os que estão chegando recentemente no mercado de trabalho saem prejudicados, pelo fato de novos empregos não estarem sido criados. Mundialmente a porcentagem de desempregados foi de 5,4% no ano de 2019 e não há esperança de progresso.



Em entrevista pública, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, faz sua declaração: “Para milhões de pessoas comuns, é cada vez mais difícil construir uma vida melhor graças ao trabalho. A persistência e a amplitude da exclusão e das desigualdades relacionadas ao trabalho impedem que eles encontrem trabalho decente e forjem um futuro melhor. Esta é uma conclusão extremamente preocupante que tem sérias e alarmantes repercussões na coesão social”.

Cerca de 61% do trabalho mundial, por mais que sejam remunerados, não garantem direitos trabalhistas, os trabalhadores estão sob condições precárias, muitos trabalhos são informais e sem carteira assinada.



No mundo, uma em cada cinco pessoas, cerca de 630 milhões de pessoas, passam por situações extremamente difíceis, considerada pobreza extrema ou moderada. Elas sobrevivem com um pouco mais de US$ 3,20 dólares, cerca de R$ 13, por dia. E essa situação tende a piorar nos anos posteriores, particularmente nos países em fase de desenvolvimento.


Expectativas de emprego no Brasil para 2020



Baseado no cálculo do ano passado, que se totalizaram cerca de 13 milhões de desempregados, a estimativa da OIT para esse ano, é que o Brasil tenha 12,9 milhões de desocupados até o fim do ano.

Caso essa estimativa se concretize, haverá uma redução na taxa em comparação com o ano passado.



Fonte: G1